segunda-feira, 16 de novembro de 2009

A Insanidade da Alma: O Apego

apego 

Nem sempre as escolhas que fazemos para nossas vidas são benéficas, mas costumamos repeti-las. A mesmice de sinapses feitas durante a vida impossibilita que se enxergue outros meios de compreender os fatos, assim tendemos a dar as mesmas respostas para os mesmos estímulos, o que nem sempre garante as melhores soluções.

O apego é tudo que nos impede de mudar e seguir adiante, depois de termos aquilo como algo certo e seguro nos apegamos de tal modo que cria-se uma ansiedade e um medo subíto com a possibilidade de ter que mudar a idéia que originalmente nos apegamos.

Muitas vezes temos consciência de que não estamos tomando as melhores decisões, porém não consiguimos quebrar o ciclo vicioso que se instala. Os vícios são a nossa proteção, é o que pensamos que somos e não podemos nos desfazer deles, pois sem eles não saberiamos como ser.

Imagino que há muitas pessoas em uma situação que as faça sofrer e que uma simples atitude poderia mudar tudo, e acredito também que essas pessoas não sejam masoquistas, elas não querem sofrer (pelo menos não conscientemente), mas simplesmente não encontram forças e meios de tomar novas atitudes.

É como se fossemos dependentes do monstro que nos aprisiona, poderíamos fugir dele ou destruí-lo a hora que quiséssemos e ao mesmo tempo não poderíamos fazer isso pelo medo que se dá num sistema de dependência. Culpamos tudo, colocamos mil identidades no monstro que está nos ferindo, mas se parássemos e olhassemos ele atentamente, ao invés de se debater descontroladamente, veríamos que a face do monstro corresponde à nossa própria.

Estamos ensinados a ser conformistas e seguir do jeito que está. Talvez se começássemos a ver as coisas de jeitos diferentes, começando pelas pequenas coisas, poderíamos nos livrar do monstro e respirar lividamente.

3 comentários:

Renato Fierce disse...

Eu me sinto totalmente um imã que atrai tudo que eu quero repelir. Dificilmente as coisas mudam efetivamente mesmo, as pessoas mudam sempre, mas as atitudes são as mesmas, estou ficando chateado com isso. Dizem que a mudança deve vir de dentro. Mas da onde? Abraçao!

Theo disse...

Mudar é difícil!
E saber que a culpa de toda a dificuldade é do monstro (no caso, eu mesmo) é mais difícil ainda!

Vou refletir!

Anônimo disse...

ler todo o blog, muito bom